vida_icon

Acompanhamento psicológico e terapias complementares ajudam casais a engravidar


Por mais alegre que seja o momento em que um casal resolve ter filhos, essa decisão, em geral, vem acompanhada de muita expectativa. Se os pais são jovens e sadios, o que se espera é que a concepção aconteça rapidamente. Porém, há casos em que o tão sonhado bebê demora a chegar, provocando muita frustração e ansiedade, sentimentos que podem diminuir as chances de sucesso dos dois.

É normal uma certa dose de nervosismo durante o processo, mas o casal só deve se preocupar em casos específicos. Apenas mulheres acima dos 30 anos com mais de um ano de vida sexual ativa sem anticoncepção e as que estão acima dos 40, depois de seis meses, é que devem buscar técnicas de fertilização assistida. Contudo, se os futuros papais não conseguem lidar como gostariam com as emoções que essa fase desperta, é recomendável procurar algum tipo de ajuda.

O estresse gerado por não realizar o sonho de ter um filho dentro do prazo esperado pode ameaçar a fertilidade de ambos os sexos. Na mulher, ele pode atuar alterando a liberação de hormônios que influenciam no ciclo ovulatório e, no homem, baixando a libido e afetando a produção de espermatozóides. E mais: as substâncias secretadas no organismo feminino também podem interferir no movimento das trompas, que se tornam menos eficazes no processo de fecundação.

A boa notícia é que já existem várias opções de tratamentos complementares para apoiar casais que se encontram nessa situação. Psicoterapia, acupuntura e medicina indiana são alguns deles. A ginecologista defende que qualquer terapia adjuvante que traga à mulher uma maior estabilidade emocional e tranquilidade durante o processo, pode ser benéfica.

A escolha deve ser da paciente, mas sempre acompanhada por um médico. Vale lembrar apenas que, antes de mais nada, a boa e velha alimentação balanceada, aliada a exercícios físicos moderados e hábitos de vida saudáveis ainda são os pilares do bem-estar do corpo humano.

Psicoterapia – Apoio para enfrentar o tratamento de fertilidade

Em busca de auxílio para lidar com o estresse do período que antecede a gravidez, muitos casais procuram a psicoterapia como forma de aumentar suas chances de sucesso. A psicóloga do Ambulatório de Reprodução Humana do Instituto de Ginecologia da UFRJ, Simone Perelson, defende que, apesar das pesquisas correlacionando fatores emocionais e infertilidade ainda não serem conclusivas, o simples fato de poder falar sobre a sua ansiedade ajuda o casal a lidar com ela.

“É impossível passar por essa vivência sem um certo grau de nervosismo. Mas não há problema, desde que este não atrapalhe a vida do paciente. Visto que é inevitável, o que se deve fazer é, em primeiro lugar, não se culpar por ter esse sentimento, julgando que pode atrapalhar o tratamento, pois, nesse caso, ele só tende a aumentar”, ressalta a especialista, que também é psicóloga do Centro de Fertilidade da Rede D’Or.

habituada a atender pacientes com infertilidade, Simone indica a técnica especialmente para aqueles que farão procedimentos de fertilização assistida. Embora a ansiedade esteja em grande parte vinculada à duvida sobre o êxito ou não do tratamento, outras questões não resolvidas costumam aparecer nesse momento, como a dificuldade em assimilar a recepção de óvulos, sêmen ou embriões e contar ou não aos outros e à criança sobre como foi concebida.

Acupuntura – Técnica aumenta significativamente a possibilidade de sucesso

Segundo pesquisa publicada no British Medical Journal em 2009, mulheres que se submetem à fertilização in vitro e utilizam terapia de acupuntura no dia da transferência do óvulo, podem aumentar em até 65% suas chances de engravidar. A indicação é de que o procedimento seja feito no próprio centro cirúrgico para relaxar o útero, aumentar a vascularização e facilitar que o embrião se fixe no endométrio. Segundo o pesquisador Eric Manheimer, da Maryland School of Medicine, as vantagens da acupuntura vão além: “ela estimula a liberação do hormônio reprodutor e o fluxo sanguíneo uterino, enquanto inibe a resposta do estresse biológico, o que pode ser útil no processo de reprodução”

Para a médica Stela De Simone, especializada em medicina oriental, a acupuntura também ajuda no equilíbrio emocional e relaxa: “ao tentar engravidar, a mulher pode criar muita expectativa e enfrentar frustrações, isso abala sua saúde. A acupuntura a auxilia a lidar melhor com os sentimentos, ficar mais tranquila e, assim, preparar o corpo para a gravidez”, garante a especialista, que atende a pacientes com esse perfil há oito anos.

Terapias complementares – Opções naturais também prometem ajudar

Algumas terapias já vêm sendo aplicadas com a finalidade de aumentar a fertilidade de homens e mulheres. A Dra. Stela De Simone afirma que o conhecimento milenar da medicina indiana (Ayurveda) – por meio do uso da massagem ayurvédica, fitoterapia, aromaterapia e alimentação – o Yoga e a meditação podem equilibrar o corpo e auxiliar o bom funcionamento do sistema reprodutivo.

Um bom exemplo de tratamento utilizado para potencializar a fertilidade é a massagem ayurvédica. Combinando toques com mãos e pés e técnicas de respiração profunda, promete dissolver tensões e desconfortos, harmonizando o sistema nervoso e melhorando o funcionamento de outros sistemas do organismo. “Os benefícios do Ayurveda são enormes, pois ele ajuda o casal a manter a harmonia nesse momento e a alcançar o equilíbrio entre o corpo e a mente, diminuindo o impacto do estresse”, diz Stela.

Outro pilar da medicina indiana é a alimentação. Segundo a médica, que atende no Centro de Medicina Indiana do Rio de Janeiro, existem alimentos que energizam mais o tecido reprodutivo. De um modo geral, uma nutrição adequada, com alimentos mais quentes e de sabores picantes, pode ajudar a aumentar a fertilidade. “A proposta da medicina indiana é equilibrar e desintoxicar o corpo, fazendo com que os tecidos e órgãos funcionem plenamente. Com os órgãos reprodutores fortalecidos, a chance de gravidez aumenta consideravelmente”, esclarece.

Compartilhe este artigo

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso conteúdo.