vida_icon

Cientistas anunciam criação de células germinativas em laboratório

Foi notícia em vários veículos – leia aqui – o anúncio de que cientistas da Universidade de Stanford, na Califórnia, teriam conseguido criar em laboratório células (germinativas) que podem dar origem a óvulos e espermatozóides a partir de células-tronco embrionárias.

A reprodução humana vem sendo bastante beneficiada pelas descobertas dos geneticistas e enchem os profissionais dessa área de esperanças em relação ao futuro. Atualmente, esse tipo de descoberta ainda fica bastante restrita às bancadas de laboratório, mas, em pouco tempo, já é possível imaginar a possibilidade de trazer esses avanços para a prática clínica cotidiana. A produção de gametas, a partir de células-tronco, será muito útil nos casos das falências ovarianas, nas quais, hoje em dia, as mulheres só podem engravidar com óvulo de doadoras, e também nos casos de ausência de espermatozóides (as chamadas azoospermias).

Apesar de, na nossa experiência, não encontrarmos arrependimento ou desilusões quando os pacientes decidem recorrer a bancos de gametas (óvulos ou espermatozóides), muitos ainda encontram resistência a esse tipo de tratamento. O “sangue do meu sangue” é um sentimento muito forte que carregamos. Por outro lado, penso que se nos educássemos para nos desprendermos dessa questão genética, evoluiríamos muito como seres humanos.

Por
Dra. Maria Cecília Cardoso
Embriologista do Centro de Fertilidade da Rede D’Or

Compartilhe este artigo

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso conteúdo.