Escolher Uma Clínica de Reprodução Assistida
vida_icon

Como Escolher Uma Clínica de Reprodução Assistida?

Ter um filho é uma das decisões mais importantes de nossas vidas. As mudanças decorrentes dessa decisão podem afetar seu estilo de vida, o corpo e as finanças. E quando essa decisão envolve um tratamento para reprodução humana assistida, podemos estar amplificando escolhas e tudo precisa ser ainda mais bem pensado, inclusive a escolha da sua Clínica de Reprodução Assistida.

Quando a busca por ajuda especializada se faz necessária, uma das primeiras decisões é a escolha de uma clínica para realização do tratamento. Por onde começar?

Experiência e Certificações

Normalmente, tudo começa por uma consulta médica. Um bom primeiro passo é uma recomendação de seu médico de confiança. No entanto, nem tudo se resume a isso. A reprodução humana não é uma especialidade médica, mas sim uma área de atuação da Ginecologia. Pelas regras atuais, para atuar na área de reprodução humana, o médico após seis anos de faculdade, precisa especializar-se em ginecologia e somente depois, cumprindo alguns pré-requisitos, prestar prova para obtenção do Título nessa área.

Pode-se consultar se um médico tem o Registro de Qualificação de Especialista em reprodução humana nos sites dos Conselhos Regionais de Medicina de cada estado, como por exemplo o CREMERJ no Rio de Janeiro e o CREMESP em São Paulo. Certifique-se lá que seu médico está habilitado a atuar nessa área.

Um segundo passo está relacionado a clínica onde seu tratamento será realizado. A Agência nacional de Vigilância Sanitária(ANVISA), em conjunto com as Vigilâncias estaduais são as responsáveis pela inspeção e autorização de funcionamento das unidades de saúde. A busca, por pare do usuário, dessas autorizações, não é tarefa fácil. As licenças são publicadas anualmente nos Diários Oficiais e não há uma base única onde possamos consultar sobre o estado atual do licenciamento de uma ou de outra clínica.

Um outro ponto importante refere-se aos resultados. Sabidamente as chances de gravidez após um tratamento de fertilização in vitro estão longe dos 100%. Em alguns países esses dados são públicos e podem ser acessados livremente por qualquer cidadão. Nos Estados Unidos, por exemplo, o Center for Disease Control(CDC) mantém esses dados disponíveis, por clínica, em seu site na internet. Por aqui, os dados não são públicos. Precisamos avançar também nisso.

Custo

Um tratamento de fertilização in vitro não é um procedimento barato. Estão envolvidos equipamentos de alta tecnologia, insumos importados e medicamentos de alto custo. A busca pelo tratamento mais barato não necessariamente é a melhor escolha. Algumas economias dentro de um laboratório podem ter impacto no resultado. Se você só pode gastar uma vez, gaste onde suas chances serão maiores.

Preocupação com o mundo onde seu filho irá viver

Temos aqui um tema não menos importante. A cada dia nos preocupamos mais e mais com o futuro de nosso planeta. Se sua decisão é ter um filho, você também deveria estar preocupada em como estará o mundo quando ele completar, por exemplo, 50 anos de idade.

Será que a clínica que você escolheu também está preocupada com isso? De onde vem a energia que ela consome? De fontes renováveis? Como ela gerencia tantos resíduos gerados nos tratamentos? Seus gestores dão importância a diversidade? Você já observou isso quanto esteve por lá em sua consulta?

Questione-se acerca disso e boa escolha.

Compartilhe este artigo

Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso conteúdo.